Posts

Ventos de Santo Estevão I é liberada para operação em teste em Pernambuco

Usina localizada no Pernambuco tem 16.1MW de capacidade total instalada

A EOL Ventos de Santo Estevão I recebeu autorização para operação em teste das unidades UG1 e UG3 a UG8, de 2,3 MW cada, totalizando 16,1 MW de capacidade instalada, a partir de 27 de maio de 2017, segundo despacho publicado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na última segunda-feira, 26 de maio. A usina fica localizada no município de Araripina, Estado do Pernambuco.

Ceará tem potencial para 6 usinas de dessalinização

O Ceará tem potencial para receber em sua costa seis usinas de dessalinização da água do mar. Esse foi um dos pontos citados pelo técnico de Projetos, Construções e Montagens de uma estatal, Roberto Viana Dantas, em sua apresentação realizada ontem, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), durante a 56ª reunião ordinária da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Estado do Ceará (CSRenováveis-CE).

Segundo Dantas, essas usinas poderiam ser construídas nas regiões dos municípios de Acaraú, Trairi, Pecém, Fortaleza, Beberibe e Icapuí. O técnico ainda apontou que a água das usinas seria distribuída através da construção de uma malha de adutoras lançada na faixa de domínio das rodovias estaduais (CEs).

Dantas já enviou a sugestão ao gabinete do Governo do Estado, à Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) e à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), juntamente com outra proposta, que aponta o potencial de geração de energia solar em áreas sujeitas à desertificação.

De acordo com o técnico, o Ceará possui aproximadamente 11% de seu território (cerca de 16 mil km²) de áreas propensas à desertificação, que poderiam ter o seu potencial avaliado para a instalação de plantas solares.

Edital

O governo do Estado já havia lançado no dia 13 de março um edital para Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) a fim de selecionar a empresa responsável por elaborar os estudos para uma usina de dessalinização na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

O Executivo estadual prevê que a planta comece a ser construída no segundo semestre do próximo ano e entre em operação apenas no ano de 2020, devendo custar, em média, R$ 500 milhões à empresa que vencer a licitação para o investimento.

Parque Eólico Offshore

Roberto Viana Dantas também destacou em sua apresentação na Fiec a potencialidade da costa de Paracuru para a recepção de investimentos em torres eólicas offshore (no oceano).

A ideia seria aproveitar a infraestrutura da plataforma de exploração de petróleo da Petrobras localizada na região – que engloba os ativos da estatal que já foram anunciados à venda para a iniciativa privada – como parte da infraestrutura necessária para a criação de um parque eólico no mar.

O vice-presidente da CSRenováveis-CE, Adão Linhares, entretanto, contesta esse ponto, dentre outros motivos, por a estrutura já ser bastante antiga, com cerca de 35 anos de atividade. “Como não foi feito nenhuma avaliação técnica, eu não acho viável. A ideia é muito boa, no sentido de despertar essa avaliação”, destacou.

Vestas

A reunião da câmara também contou com a exposição do head of Public Affairs for South America da Vestas, Adriano Leite de Barros, que apresentou alguns números de balanço da unidade da produção de aerogeradores da empresa, situada em Aquiraz, inaugurada em janeiro de 2016. A fábrica encerrou o ano passado com mais de 130 funcionários diretos e produziu um total de 150 turbinas.

De acordo com Adão Linhares, a apresentação de ontem na Fiec fez parte das intenções da empresa de prospectar mais fornecedores locais. “Eles querem transformar o entorno da fábrica deles num grande espaço de fornecedores. A pretensão deles é que eles, de repente, não precisem mais importara nada”, salientou o vice-presidente da CSRenováveis-CE.

Fonte: Diário do Nordeste

Piauí atinge 1GW de energia eólica

Conforme previsão divulgada em fevereiro pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), o estado do Piauí atingiu esta semana a marca dos 1 gigawatts (GW) de capacidade instalada em energia eólica. O resultado foi alcançado com a instalação e início de operação em teste dos parques Ventos de Santo Augusto I, VI e VII,  somando 66,7 MW de potência.

Os empreendimentos estão localizados no município de Simões e foram comercializados no leilão A-5/2013 pela empresa Casa do Ventos. As usinas adiantaram a sua operação que em contrato estava prevista apenas para início em maio de 2018.

Com o resultado, o estado é o 5º a superar a marca no país.

Fonte: CERNE Press com informações da Abeeólica

Complexo Eólico Santo Agostinho vai gerar mais de mil empregos diretos no RN

Na manhã da terça-feira passada (14), na Prefeitura de Pedro Avelino, o secretário de Agricultura, Matheus Rodrigues; do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Joaldo Bezerra, e a chefe de gabinete Meireane Alves receberam o diretor institucional do Instituto Heráclito Projetos e Consultoria, Rogis Juarez Bernardy; Roque Sanchez, PHD em Geografia e diretor geral do Geo. Informação e Gestão Territorial.

Foram discutidas a implementação do Plano Diretor do Município de Pedro Avelino e constituição de núcleo gestor representativo da Engie, representada por suas executivas Gisele Mendes e Carolina Morais, com o objetivo de envolver o Poder Executivo e participação social; no intuito de captar recursos para implementar planos ambientais.

O Complexo Eólico Santo Agostinho será financiado pela Engie Brasil junto ao BNDES. Serão feitos investimentos na implantação do Plano Diretor, recursos serão disponibilizados para aquisição de equipamentos e melhoramento da Casa de Cultura Popular e investimentos em fundos de desenvolvimento municipal, como o da Criança e Adolescente, além da perfuração de poços profundos, que também poderão beneficiar as comunidade rurais.

A expectativa da Engie Brasil é a contratação de aproximadamente 1.200 empregos diretos, o que será um grande avanço na economia local. Além da garantia de empregos, será firmada uma parceria com o SENAI e o IFRN para qualificar nativos. Um dos grandes objetivos é priorizar a mão-de-obra local.

Os secretários reiteraram o que disse a prefeita Neide Suely, no primeiro encontro, que “toda estrutura da Prefeitura está à disposição, para ajudar no que for possível”.

Fonte: Agora RN

Mais de 100MW em eólicas devem entrar em operação comercial no RN até dezembro

Um levantamento realizado pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE) revela que atualmente o Rio Grande do Norte tem cinco parques eólicos  que se encontram em fase de testes.  Com o funcionamento efetivo desses empreendimentos, mais de 100 MW  (106,8 MW) devem ser produzidos no Estado ainda em dezembro deste ano.

Do total a ser produzido, cerca de 90 MW são provenientes dos parques eólicos Santana I, Santana II e Calango 6, cada um com 30 MW em potência instalada, do grupo espanhol Iberdrola e todos instalados no município de Bodó. Já 16,8 MW são oriundos do parque Santa Mônica, instalado no município de Touros.

O RN continua absoluto como líder nacional em quantidade de parques eólicos instalados e produção da energia proveniente da força dos ventos, detendo 3,1 GW em potência instalada.

Fonte: CERNE Press

Auditoria Ambiental

Aneel libera funcionamento de eólicas no RN

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) liberou a entrada em operação comercial de três turbinas de 2.100kW do parque eólico São Domingos, instalado no município de São Miguel do Gostoso. O parque é composto por 12 aerogeradores e a liberação para funcionamento somará 6.300 kW em potência instalada.
Também entrou em operação comercial um aerogerador de 2.100kW do parque  Ventos de São Benedito, instalado no mesmo município. Os dois empreendimentos são de propriedade da CPFL Renováveis.
Com estes novos aerogeradores em funcionamento, o Rio Grande do Norte fica cerca de 45MW para a quebra dos 3GW em potência eólica instalada.
Fonte: CERNE Press