Gestão Florestal

No âmbito dos grandes projetos, os elementos florestais são diretamente impactados e a melhor forma de mitigar os impactos negativos é elaborando estudos precisos que possam embasar um planejamento de conservação e recuperação das áreas passíveis de degradação.

O Núcleo de Gestão Florestal da CRN-Bio tem como objetivo oferecer as melhores alternativas para que os elementos florestais possam coexistir com os empreendimentos sem afetar as atividades inerentes as empresas e o meio biótico das quais as cercam.

Para alcançar os objetivos desejados, a CRN-Bio dispõe dos seguintes instrumentos:

Inventário Florestal

O inventário florestal é o levantamento de dados sobre características quantitativas e qualitativas de florestas e das áreas sobre as quais a floresta está se desenvolvendo.

Os inventários florestais podem ser aplicados a vários tipos de levantamento, por exemplo, para a realização do reconhecimento de uma área a ser explorada e/ou um diagnóstico dos danos causados à vegetação remanescente após as atividades exploratórias.

Consiste, basicamente, no registro dos indivíduos existentes em uma determinada área. É um importante instrumento utilizado para diagnosticar o potencial produtivo de uma floresta, objetivando oferecer informações quantitativas e qualitativas dos produtos madeireiros e não-madeireiros.

Com as informações levantadas em um inventário florestal é possível determinar a viabilidade econômica dos diferentes seguimentos e empreendimentos florestais.

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas

É o conjunto de medidas das quais condicionam às áreas degradadas, um novo equilíbrio dinâmico com fatores ambientais bióticos e abióticos aptos para uma recuperação estrutural dos seus elementos e paisagens esteticamente harmoniosas.

Planejamento de Supressão Vegetal

A supressão vegetal é uma ação da qual interfere diretamente no ecossistema local onde os componentes vegetais compõem um dos principais pilares do meio ambiente.

O Planejamento de Supressão Vegetal realiza estudos prévios como o inventário florestal, proporcionando assim uma real situação da área e averiguando e visando diminuir o impacto ambiental que é inerente a supressão. Como medida mitigadora à Supressão Vegetal, executa-se o Programa de Reposição de Áreas Degradadas.

Monitoramento de Processos e Focos Erosivos

O Monitoramento dos Focos Erosivos tem por objetivo acompanhar possíveis indícios do processo erosivo visando a prevenção ao agravamento dos danos relacionados as atividades dos empreendimentos, indicar soluções para os possíveis problemas encontrados e garantir as estabilidades morfodinâmicas e hidráulicas às vias de acesso visando mitigar a evolução erosiva do solo de forma a que as atividades do empreendimento possam coexistir com os processos naturais morfodinâmicos da área, sem avançá-los ou torná-los mais graves.

Entre em Contato Agora Mesmo