Governo cancela leilão de energia eólica e solar

O setor de energia limpa brasileiro levará um banho de água fria no final deste ano. O leilão de reserva de energia, marcado para o dia 19 de dezembro, que contrataria apenas energia vinda de fontes eólicas e solares, será cancelado pelo Ministério de Minas e Energia.

Com isso, 2016 será um ano sem contratação para energia eólica, o que prejudica o planejamento do setor para 2019 e 2020, quando a energia contratada agora surtiria efeito na produção.

Há grande receio na indústria de que a cadeia produtiva criada no Brasil nos últimos seis anos passe por uma ruptura pela falta de demanda energética no país. De 2009 a 2014, a média contratada para energia eólica foi de 2 GW. Em 2015, apenas 1,1 GW. Agora, só em 2017.

Segundo o secretário do ministério, Paulo Pedrosa, o cancelamento do leilão foi motivado pela nova previsão de queda na demanda por energia para este ano e para o próximo ano.

Como haverá sobra de energia nas distribuidoras, o governo entendeu que não há necessidade de realizar o leilão.

O leilão de reserva é feito para atender a uma margem de segurança entre a energia contratada pelas distribuidoras e o mercado consumidor.

Fonte: Exame | Luciano Pádua e G1 | Laís Lis